Componente de Formação Prática em Contexto de Trabalho

A Componente de Formação Prática em Contexto de Trabalho (FPCT) visa o desenvolvimento e a aquisição de conhecimentos e competências técnicas, relacionais e organizacionais relevantes para o exercício da actividade profissional.

Esta componente, realizada numa entidade enquadradora, tem como objectivos, proporcionar:

  • A realização de novas aprendizagens e o contacto com tecnologias e técnicas que se encontram para além das situações simuláveis durante a formação;
  • Oportunidade de aplicação dos conhecimentos adquiridos a actividades concretas em contexto real de trabalho;
  • Desenvolvimento de hábitos de trabalho, espírito empreendedor e sentido de responsabilidade profissional;
  • Vivências inerentes às relações humanas no trabalho;
  • Conhecimento da organização empresarial.

A FPCT pressupõe, assim, que o seu desenvolvimento se processe num quadro de interactividade e de complementaridade com as restantes componentes e contextos de formação.

Neste sentido, para além da consolidação das aprendizagens realizadas em contexto de formação, esta componente deve garantir, igualmente, a aquisição de novas aprendizagens, traduzidas nos resultados de aprendizagem abaixo identificados, que concorram, de forma efectiva, para o cumprimento do perfil associado a esta saída profissional.

Resultados de Aprendizagem da FPCT:

  • Procede à mobilização adequada do terreno da cultura a instalar conduzindo, de acordo com as regras, as máquinas e os equipamentos agrícolas específicos às atividades a realizar.
  • Seleciona a alfaia e/ou a operação de mobilização do solo adequada à preparação do terreno e cultura a instalar.
  • Seleciona os equipamentos de distribuição de fertilizantes, sementeira e plantação, operando-os e executando as tarefas de manutenção e afinação necessárias a cada equipamento e seus constituintes.
  • Seleciona o equipamento destinado a tratamentos fitossanitários e o sistema de rega adequado à cultura e ao terreno.
  • Seleciona o sistema de rega, o débito e os intervalos de rega adequados às características da cultura, do terreno e da água a utilizar.
  • Reconhece a necessidade da drenagem e seleciona o sistema adequado à cultura e às características do terreno.
  • Seleciona, tendo em conta as vantagens e os inconvenientes, as máquinas e os equipamentos de colheita, carga, transporte e armazenamento adequados à cultura e ao terreno e domina procedimentos de montagem, regulação, manipulação e manutenção.
  • Sistematiza o cálculo de distâncias, áreas e declives de terrenos recorrendo a cartas topográficas, fotografias aéreas e outros instrumentos utilizados em agrimensura.
  • Aplica técnicas de produção frutícola adequadas às características de cada espécie, tendo em conta as espécies de maior interesse regional e adotando uma visão sistémica dos problemas bioecológicos.
  • Projeta rotações de culturas e técnicas de preparação do solo e cultivo e aplica técnicas adequadas ao maneio de pastagens e de conservação de plantas forrageiras.
  • Formula dietas alimentares.
  • Elabora projetos de melhoria e avalia projetos de investimento.

 

Comments are closed.